Exportação de soja brasileira para a China é menor em maio devido a peste suína

As importações de soja realizadas em maio pela China reduziram 31% em comparação com o mesmo mês de 2018. De acordo com os dados divulgados pela Administração Geral de Alfândegas, a China importou menos soja brasileira durante o mês de maio devido ao surto de pesteafricana ocorrido durante o período em muitos rebanhos de suínos da China.

De acordo com as notícias divulgadas pela administração geral, os compradores chineses seguraram suas aquisições durante o período justamente porque a soja é o principal ingrediente em torno da ração destinada ao cultivo de suínos. Com rebanhos de suínos reduzidos por causa da peste africana, seria insensato se os compradores comprassem a mesma quantidade de soja que em períodos de rebanhos cheios. Sendo assim, era de se esperar a queda nas exportações de soja para a China.

Só em maio de 2019, a China importou 6,3 milhões de toneladas do grão brasileiro. Embora o número seja bem alto, ele está bem abaixo dos 9,124 milhões de toneladas de soja importados em abril de 2019. Ou seja, há uma grande diferença entre os dois períodos deste ano que é explicada pela redução dos rebanhos suínos da China.

Entre todas as importações de soja realizadas pela China, o total chegou a 7,36 milhões de toneladas durante o mês de maio. Esse número representa uma queda de 24% quando comparado com o ano passado. Os dados divulgados fazem parte de um levantamento realizado pela China em parceria com a Administração Geral de Alfândegas.

Embora a redução dos rebanhos de suínos tenha impactado fortemente neste número menor de soja importada durante o mês de maio, economistas destacam que a guerra comercial também influenciou nesse resultado.

Compradores chineses acreditaram em maio de 2019 que a guerra comercial entre Estados Unidos e China acabaria, o que fez com que eles segurassem muitas das importações que seriam realizadas na América do Sul, incluindo o Brasil. A expectativa de comprar soja dos Estados Unidos fez com que os compradores chineses comprassem menos soja brasileira em maio deste ano. Sendo assim, tanto a redução de suínos quanto a guerra comercial fizeram com que um volume menor de soja brasileira fosse exportado para a China em maio de 2019.