Anac divulga queda no valor médio da passagem aérea no 1º trimestre de 2019

A Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) informou no dia 10 de junho de 2019 que o valor médio registrado nas tarifas aéreas através de voos doméstico apresentou uma queda de 1,3% nos primeiros três meses de 2019. A queda ocorreu em uma comparação com o mesmo período do ano passado.

De acordo com as notícias divulgadas pela agência, a tarifa média dos voos domésticos no primeiro trimestre foi de R$ 371,76, enquanto que nos primeiros três meses de 2018 a tarifa média chegou ao valor de R$ 376,50.

Dentre as empresas brasileiras, a agência ainda informou que a Avianca apresentou um aumento da tarifa média de 9,2% nesse primeiro trimestre de 2019. Além disso, a Latam subiu 3,8% o valor médio da tarifa cobrado em voos domésticos neste ano.

No entanto, a Anac informou que a Gol e a Azul apresentaram queda no valor médio da tarifa cobrada em voos entre estados do país. A Gol apresentou queda de 3,9% enquanto que a Azul apresentou queda de 1,8% durante o período analisado.

Os dados considerados pela Anaccorrespondem as passagens que foram vendidas de janeiro a março de 2019. Nesses primeiros três meses, a agência informou que dentre o total de passagens aéreas comercializadas, 9,7% corresponde a passagens com valor menor que R$ 100, enquanto que mais da metade delas, o equivalente a 53%, corresponde a passagens com valor menor que R$ 300. Já as passagens com valor superior a R$ 1.500 representaram apenas 1% do total de passagens comercializadas durante o período analisado.

Além dos dados sobre a tarifa média cobrada pelas empresas, a Anac destacou que a Azul, Latam, Avianca e Gol, que são as principais empresas aéreas do país, apresentaram prejuízo acumulado no valor de R$ 1,93 bilhão ao término de 2018. Anteriormente, em 2017 as quatro empresas apresentaram juntas o lucro de R$ 411 milhões.

Dentre os itens que mais impactaram nos custos e nas despesas de 2018, a agência informou que os combustíveis representaram 32,6% do total. Além desse item, manutenção e seguro das aeronaves também contribuíram com 19,6% dos custos. Os custos relacionados às pessoas chegaram ao total de 15,5% neste ano. Nos últimos anos a agência revelou que o custo denominado do combustível atingiu seu maior nível no ano passado.