A contribuição da Empiricus na Bolsa de Valores

Em março saiu um no portal Money Times um artigo de Gustavo Kahil a respeito do marco histórico da Bolsa de Valores brasileira que chegou a 1 milhão de investidores (pessoas físicas). Números que só foram alcançados por meio do esforço de empresas como a Empiricus, que tornou o aprendizado dos investidores mais acessível.

1 milhão pode parecer pouco em vista dos mais de 200 milhões de habitantes, contudo face a nossa cultura é algo de grande relevância. Kahil cita o desejo do presidente da Bovespa, Edemir Pinto, que sonha em um país com 5 milhões de investidores. Ainda assim, um milhão de pessoas investido demonstra o recente interesse dos brasileiros de investir na Bolsa.

Apesar do crescente interesse em investimentos em renda variável, se compararmos a outros países, o Brasil ainda está engatinhando. Nos Estados Unidos, por exemplo, metade dos norte-americanos adultos fazem algum investimento direto em ações. Já a Coreia do Sul, com um quarto da nossa população, obteve no início dos anos 2010 mais de 5 milhões de investidores.

Nossos vizinhos da América do Sul têm uma participação de pessoas físicas na Bolsa sensivelmente maior que a brasileira. Chilenos e colombianos investem mais em ações do que os brasileiros, e isso em termos absolutos.

A contribuição da Empiricus

Fundada em 2009, a Empiricus monitora o número de pessoas físicas que investem na Bolsa. De acordo com Caio Mesquita, CEO da empresa, no começo, utilizamos esses dados como indicadores para conhecer o mercado de potenciais assinantes. Nesse momento a premissa é que apenas aquele público que tinha predisposição a investir em ações teriam real interesse em receber orientações sobre o tema.

Tempos depois, em 2013 com a inserção da Agora como sócia, a empresa redirecionou sua estratégia com a aplicação de técnicas de marketing digital a fim de despertar o interesse do público, aumentar a audiência em especial de pessoas com recursos empregados em investimentos pouco rentáveis.

Muitas pessoas, que antes ignoravam o assunto de finanças, deixando que seus gerentes tomassem decisões importantes sobre seu patrimônio, passaram a assinar as publicações da Empiricus. A partir daí tiveram acesso a ideias antes desconhecidas, inacessíveis ou acessíveis a somente uma pequena parcela de pessoas, em sua maioria com muitos recursos.

Com as sugestões oferecidas, os assinantes passaram a abrir contas em corretoras e a cuidar do seu futuro financeiro de forma mais ativa. Tudo auxiliado por estudos e pesquisas internas que validam a influência da empresa na transformação das atividades relacionadas aos investimentos dos assinantes.

Uma das mais recentes, revelou que antes de receber as publicações da Empiricus, 45% dos assinantes tinham dinheiro guardado na poupança e 35% investiam em ações. Após assinarem os boletins, o cenário se inverteu com 15% investindo na poupança e 60% investindo diretamente na Bolsa.

Atualmente, com mais de 330 mil assinantes únicos, a companhia foi determinante para o aumento do número de pessoas que investem no mercado de capitais em geral, uma vez que a empresa oferece relatórios para diferentes segmentos. A Bolsa de valores é um deles.