Órgão para transplante é transportado por drone nos Estados Unidos

Em vez de helicóptero, um hospital em Baltimore, nos Estados Unidos, realizou o transporte de órgão que seria utilizado para transplante através de um drone. Esta é a primeira vez na histórica da humanidade que um drone é utilizado para esse tipo de transporte. De acordo com as informações fornecidas pelo hospital, o drone transportou um rim que seria transplantado em uma mulher que já aguardava pelo órgão há oito anos.

Embora o voo tenha sido bem curto, em uma distância de 5 km, os pesquisadores que desenvolveram o drone afirmam que o feito é muito importante. Isso mostra que é possível melhorar o tempo de transporte de órgãos, considerando que eles são bastante sensíveis e precisam de delicadeza e agilidade, usar drones para esse transporte parece ser uma opção muito viável.

Os pesquisadores que realizaram esse feito foram liderados por Joseph Scalea, que é médico na Faculdade de Medicina presente na Universidade de Maryland. De acordo com as notícias divulgadas por Scalea, ele e sua equipe já tinha feito testes com drones para transportar outros materiais, como amostras de sangue. Na opinião do médico e cientista o transporte de órgãos por drone é um grande passo para a humanidade.

Scalea ainda afirmou sobre o grande feito: “Esse procedimento foi bastante complexo, nós conseguimos porque toda a equipe estava muito envolvida e dedicada ao longo de todo o período”.

Para o transplante de órgãos, atualmente são utilizados voos fretados ou até mesmo voos comerciais, dependendo dos horários e das condições dos materiais a serem transportados. No caso do voo fretado, o custo é bastante elevado, mas há uma segurança maior de que os órgãos cheguem dentro do prazo indicado. Agora no caso dos voos comerciais, o custo é bastante reduzido, mas há mais chances de os órgãos chegarem com atraso. Ou seja, o transporte de órgãos atualmente enfrenta dois grandes problemas, por isso, procurar por soluções mais baratas, rápidas e eficientes é fundamental para ampliar os transplantes de órgãos.

O drone utilizado para o transporte de órgãos em Baltimore foi desenvolvido pelos próprios pesquisadores. Além disso, eles também utilizaram para o transporte um sistema de monitoramento para saber a qualidade do órgão durante o transporte. Todos os parâmetros obtidos com a tecnologia eram enviados de forma automática para um smartphone da equipe que iria transplantar o órgão, o que permitiu aos médicos saber as condições do órgão antes mesmo dele chegar ao local de transplante, assim como a sua localização exata.