Tornando-se um empreendedor

A maioria dos negócios e empreendimentos falha. A maioria dos empresários ganha muito menos dinheiro do que se trabalhasse para outra pessoa. O caminho para o sucesso é muitas vezes longo e solitário – horas brutais; quantidades massivas de estresse; e uma enorme quantidade de sacrifício pessoal. Então, por que você quer se tornar um empreendedor?

Para Sobreviver: Na minha adolescência e início dos meus 20 anos, tornei-me um empreendedor (embora não soubesse a palavra ou o significado disso) para simplesmente sobreviver. Em todo o mundo, muitas pessoas se tornam empreendedores para sobreviver. Eles não têm perspectivas de emprego ou poucos meios para ganhar a vida. Portanto, o empreendedorismo para muitos é a única alternativa.

Para Perseguir um Sonho: Aos vinte e poucos anos, peguei o vírus do ‘Vale do Silício’ e busquei meu sonho de me tornar um empreendedor de tecnologia. Muitos empreendedores (em todas as indústrias) buscam o empreendedorismo para realizar seus sonhos pessoais. Eles têm algo a provar para o mundo e para si mesmos. Eles têm a capacidade mental e intelectual, o impulso e a desenvoltura para inventar e criar empreendimentos diferenciadores.

Para fazer a diferença: Em meus trinta e poucos anos, a ideia de empreendedorismo mudou completamente para mim. Eu queria fazer a diferença, fazer algo que tenha um impacto positivo e duradouro. Fazer a diferença como empreendedor pode ser muito recompensador – como todos os grandes empreendedores concordarão de maneira onipresente. No entanto, fazer uma diferença real talvez seja também a coisa mais difícil de fazer e mais desafiadora. Requer um tipo diferente de mentalidade. Não se trata apenas de ganhar dinheiro, de se tornar famoso ou de inventar coisas novas. Em nosso mundo em mudança, a definição de empreendedorismo evoluiu, pois a necessidade de “fazer a diferença” nunca foi tão grande. Nas minhas viagens, conheci “empreendedores” de todos os setores da vida – no governo, na academia, em ONGs, em corporações, em laboratórios, no palco e, sim, em empreendimentos que trabalham discretamente para fazer a diferença com recursos limitados.

Acredito que esse espírito de guerreiro também se aplica à vida pessoal e profissional de um empreendedor. Define quem somos e a quem aspiramos nos tornar.