Ano de 2017 termina com Jeff Bezos e a Amazon apresentando destaque mundial

O ano passado terminou e apresentou índices positivos tanto para Jeff Bezos quanto para a Amazon, conglomerado de tecnologia em que ele é o presidente e o dono do principal site de produtos eletrônicos do mundo. No início do ano, a sua fortuna era de 65 bilhões de dólares, e durante o ano a sua fortuna cresceu e ele se tornou o homem mais rico do mundo por um tempo, com uma fortuna que chegou próxima dos 100 bilhões de dólares. Mas ele terminou 2017 com uma fortuna estimada em 75 bilhões de dólares, o que mesmo assim é um ganho fantástico para apenas um ano, e terminou em terceiro lugar na lista entre os homens mais ricos do planeta.

De acordo com todos os acontecimentos, o ano de 2018 deve ser também excelente para Jeff Bezos, que já se tornou um dos principais nomes mundiais em negócios, juntamente com os outros gigantes do setor de tecnologia do Vale do Silício, localizado na Califórnia, Estados Unidos.

A grande parte dos especialistas que defendem a Amazon, encerraram 2017 indicando a aquisição dos papéis da empresa, observando que as vendas no último período do ano, ficaram acima de todos as expectativas. A empresa apresentou uma alta nas suas ações de 57% o ano passado, e segundo os especialistas esse ano a alta deve ser de 18% em média.

Esse ano também vai servir para que Jeff Bezos ultrapasse a linha das vendas realizadas somente pela internet. A tendência é que haja uma expansão da sua empresa também no setor do varejo físico, já que em junho de 2017, a Amazon comprou  a rede de lojas de supermercados Whole Foods,  mostrando para o mundo as intenções do empresário.

Em território brasileiro, a Amazon ainda precisa mostrar todo o seu potencial, já que a concorrência no Brasil é forte e é feita principalmente pelo site do Mercado Livre. Perto do final do ano passado, a companhia iniciou no Brasil o seu marketplace no setor de eletrônicos, depois de ficar alguns anos analisando o mercado.

Mas esse ano Bezos deverá ficar ainda mais ocupado do que de costume, isso porque a sua companhia de turismo espacial, a Blue Origin, fez testes com resultados positivos no final de 2017, com uma aeronave que planeja fazer voos levando turistas para orbitarem à Terra. Se tudo continuar dando certo, o primeiro voo será realizado ainda em 2018.