Construtora investirá R$ 180 milhões para tecnologia em projeto

com foco em apartamentos, está com um projeto para o ano de 2018 que consiste no primeiro condomínio da empresa completamente preparado para a “internet das coisas”, denominação realizada para a tecnologia que envolve qualquer objeto ao nosso redor.

Para concretizar o projeto será necessário o investimento de R$ 180 milhões com o intuito de desenvolver e testar as tecnologias utilizadas. Quem estará nessa parceria serão as empresas de peso IBM e Intel. As obras do empreendimento deverão ser iniciadas no primeiro trimestre do ano que vem, a região do novo prédio será perto da Avenida Brigadeiro Lima, na zona sul da capital paulista, a previsão para as obras será no durante os três primeiros meses de 2018.

De acordo com a Vitacon, o nome do empreendimento será Next. O tamanho dos apartamentos será compacto, começando de 22 até 55 m². O local será entregue com diferentes tipos de sensores em apartamentos e áreas comuns, isso incluirá fechaduras e câmeras inteligentes. Quem estará no controle do funcionamento do condomínio será um software de inteligência artificial. O sistema operacional do edifício contará com um sistema de inteligência cognitiva chamado de “Watson”, fornecido pela IBM.

A construtora espera atrair o interesse de diferentes empresas e desenvolvedores independentes para ajudar a criar as novas tecnologias. No começo de 2018 a empresa inaugurará um projeto que consiste em um único apartamento de 28 m² que será utilizado para fazer testes, uma espécie de laboratório para a aplicação das tecnologias, especialmente para a “internet das coisas”. Esse projeto será desenvolvido na região da Avenida Paulista.

Para melhor aplicar os testes, quem estiver na equipe de desenvolvimento poderá dormir no imóvel para testar as aplicações, integradas com a estrutura do prédio através de interfaces de programação de aplicativos (APIs).

De acordo com Alexandre Lafer Frankel, presidente executivo da Vitacon, o objetivo será a criação de um sistema operacional aberto. A empresa pretende trazer desenvolvedores e startups para aplicar as suas tecnologias no projeto. Serão novas oportunidades que poderão ser abertas para os negócios da construtora que aposta nesse setor.