Empresária estima US$ 3 milhões de faturamento com venda de chapéus

Resultado de imagem para Janessa Leoné

A jovem de 30 anos Janessa Leoné tem formação na Universidade de São Diego em literatura inglesa. Trabalhando como babá ela estava tentando ingressar no curso de direito. Enquanto tentava ingressar no curso fez uma viagem para Paris que lhe deu uma ideia de um novo negócio.

Quando estava em um brechó no bairro de Marais, um chapéu fedora chamou a sua atenção não por ser da década de 1940, mas pelo sobrenome da etiqueta da marca que coincidentemente era o mesmo que o seu. Então a partir daí ela entendeu o que poderia ser um sinal.

O chapéu italiano foi comprado por US$ 10, depois de 8 anos do ocorrido hoje o seu nome assina uma grife, são mais de 24 chapéus em mais de 450 lojas no mundo todo. Em sua cidade, em Culber City, Califórnia, existe uma loja própria que teve inauguração no ano passado. O chapéu é usado por astros de Hollywood como Jessica Alba, Lupita Nyongo, Chrissy Teigen e Liv Tyler.

A palha importada e tecida à mão vem do Equador e serve para produzir o modelo Panton de abas largas, com o custo de US$ 275 (cerca de R$ 907,00). Em 2015 Janessa já estava na lista da Forbes com menos de 30 anos na categoria de arte e estilo. A estimativa para o faturamento de sua empresa é de US$ 3 milhões.

Inicialmente sem experiência no mundo dos negócios, Janessa procurou o pai para pedir conselhos, a recomendação foi não fazer empréstimos. Então durante dois anos, Janessa permaneceu na casa dos pais e conseguiu economizar US$ 10 mil. Como babá ela pesquisava sobre produção de chapéus quando o bebê do qual cuidava estava dormindo.

Depois de reuniões com empresas fabricantes de chapéus, ela decidiu contratar uma empresa no Canadá para fabricar os seus fedoras. Na primeira produção que fez foram gastos 2 mil dólares, a costura foi feita por ela mesmo que sozinha colocou faixas de feltro e couro nos seus chapéus.

Janessa presenteou editores de moda de importantes revistas que acabaram recomendando o seu chapéu para seus amigos das revistas “Elle” e “Vogue”, depois de duas semanas a Barney’s, famosa rede de moda dos Estados Unidos, fez um pedido dos chapéus.