Loja colaborativa fatura 1,3 milhão

Resultado de imagem para loja achadinho

O empreendedorismo envolve diversas possibilidades, por isso enxergar maneiras de atingir o principal objetivo da empresa é importante para garantir o sucesso e o prosseguimento das atividades. O networking não pode ser subestimado, contatos ajudam a encontrar maneiras ou oportunidades novas de criar ou continuar com um negócio.

A trajetória empreendedora das sócias paulistanas Cinthia Yamazaki, 33 anos e Aline Vilhena, 38, começa em uma feira de varejo em 2011. Aline que tem formação na área de moda, estava divulgando a sua marca infantil, enquanto Cinthia, formada em turismo, integrava a organização do evento. Os contatos trocados renderam uma oportunidade de negócio, as duas iniciaram uma parceria em produção de moda e em 2014 abriram uma empresa.

O estabelecimento se encontra em um antigo galpão no bairro de Pinheiros, na zona oeste de São Paulo. As peças que ficam à mostra estão distribuídas em araras e caixas de madeira de diferentes tamanhos. As peças são roupas de enxoval, calçados e brinquedos, todos direcionados para bebês e crianças. Quem proporciona os produtos infantis para compor o catálogo da Achadinhos são mais de 80 marcas. A loja colaborativa tem o público infantil como seus consumidores, a sua inauguração se deu em novembro de 2016.

No início a loja Achadinhos trabalhava com assinaturas de produtos infantis, mas a mudança nos planos vieram quando as empresárias perceberam que muitas marcas com potencial não conseguiam alcançar o seu público-alvo por falta de recursos para a divulgação.

O formato da empresa se renovou quando as empresárias assumiram o modelo de loja colaborativa, um lugar onde o pequeno produtor pudesse expor e vender os seus produtos. Para dar o passo inicial o investimento do negócio teve R$ 80 mil. Um galpão no bairro de Pinheiros foi escolhido para ser alugado e reformado.

A intenção estava em criar uma loja que causasse bem-estar para toda a família sem deixar as crianças de fora. A área da loja tem um espaço amplo, sem escadas e bem iluminado. Uma brinquedoteca é o atrativo para as brincadeiras infantis enquanto os pais escolhem os seus produtos. A mudança e o investimento demonstrou resultado, a empresa faturou até setembro 1,3 milhão e pretende abrir um espaço de coworking focado nas mães.