O mês de junho de 2017 registrou queda em atacados de 7,09%

Image result for queda de preço

Essa queda registrada em vendas de atacados no Brasil, tem os dados revelados segundo a Abad – Associação Brasileira de Atacadistas e Distribuidores, sendo essa a última atualização dos dados até o momento. O setor teve uma queda em junho, comparado ao mesmo mês de 2016 e a queda de 7,09% já é calculada com o desconto da inflação. Em comparação ao mês de maio de 2017, junho teve uma queda de 4,26% em todo o período. Em todo o primeiro semestre de 2017, houve redução no total acumulado, registrando queda brusca de 5,57%.

“O recuo mostra que o país segue muito sensível aos fatores políticos, e os seguidos acontecimentos que o governo tem sofrido não ajudam na recuperação da confiança do consumidor”, diz o presidente da associação Emerson Luiz Destro.

“Tínhamos a expectativa de que os dados de junho se consolidassem em uma tendência para o segundo semestre. Infelizmente, vimos que maio foi um ponto fora da curva, que nos deu esperanças não sustentadas em números. Contudo, há motivos para acreditar na recuperação no segundo semestre, que é tradicionalmente mais forte para o comércio”, diz Emerson Luiz.

Pode-se observar uma grande retração nesses resultados, como podemos ver em comparação com o mês anterior a junho. Essa retração é grande e segue déficit inflacionado pelo atual cenário político e econômico do Brasil.

“Por conta dos números positivos de maio, em relação ao mês anterior e ao mesmo mês do ano passado, estávamos trabalhando com a expectativa de chegar, talvez, a um crescimento nominal de 2%, 2,5%. Com os novos dados, acreditamos que um crescimento nominal neutro, com queda real de até 2,5%, seja um resultado razoável para fechar 2017”, explica Emerson Luiz.

No mês de maio de 2017, houve um crescimento notável de 9,9% em comparação com o mês anterior, mês de abril de 2017. Esses dois meses comparados com o mesmo período de 2016, o número registrado no crescimento foi de 0,84%. É importante frisar que todo o crescimento registrado em um determinado período, serve como um indicador para os meses consecutivos, mas é possível que esse aumento não se consolide, como é o caso do aumento registrado entre abril e maio de 2017.