Ações do grupo PSA caem após descoberta de fraude nas emissões de poluentes

Uma ação fraudulenta de carros fabricados pelo grupo Peugeot Citroën (PSA), foi apontada por investigação francesa. A fraude é referente a um programa de computador que altera as emissões de poluentes, nesse caso dos motores a diesel, que aprovou a fabricação de 2 milhões de carros do grupo. A investigação francesa foi publicada no jornal mais conhecido da França, o “Le Monde”.

Em uma nota divulgada pela PSA referente a reportagem publicada pelo jornal francês, o grupo negou o uso de qualquer tipo de software que possa fraudar os níveis de emissão de poluentes. Com a notícia publicada no dia 8 de setembro, as ações do grupo tiveram queda nas bolsas europeias.

A investigação aconteceu com a análise de um documento interno do grupo onde havia uma discussão clara alegando a necessidade de “tornar o dispositivo fraudulento menos óbvio e visível”. A afirmação encontrada no documento deu início a uma investigação que levou as atuais avaliações de que as emissões de poluentes dos motores à diesel de 2 milhões de veículos produzidos pelas montadoras foram fraudados pelo sistema.

Os franceses vêm investigando o caso desde o ano passado, e se assemelha em grande parte com o caso de escândalo que ocorreu com a Volkswagens. A fraude foi divulgada há dois anos, onde foi comprovado que um programa de computador modificou os níveis de emissões de óxido de nitrogênio (NOx). Sendo assim, os carros que passaram nos testes de missões emitiam níveis consideráveis de poluentes, mas nas ruas os carros poluíam muito mais do que o permitido.

Outras suspeitas também foram apontadas no jornal em relação a outras duas montadoras mundialmente conhecidas, a Renault e a Fiat Chrysler.

Somente neste ano, o grupo PSA foi responsável por alavancar as vendas de veículos na Europa, sendo a segunda maior montadora a vender veículos em todo o continente. A campeã de vendas desse ano continua sendo a Volkswagen, que ao comprar o braço europeu da General Motors, a Opel, teve um aumento nas vendas.

Com a fraude divulgada, poderá haver uma redução no número de vendas de veículos, assim como uma redução no preço das ações do mercado europeu. A perspectiva nas bolsas europeias é de que o grupo PSA continue fechando em queda.